Quero ser RP na Espanha!

A realidade, do mercado de Relações Públicas no sul de Europa

A profissão ao outro lado do oceano teve um desenvolvimento muito similar ao brasileiro, já que no país europeu também foram as associações de profissionais as que promoveram os estudos e o desenvolvimento da atividade, como recolhe a tese de doutorado “Relações Públicas en Brasil y Espanha: estudo um estudo comparativo entre os campos profissionais e académico”, realizado em 2015 por Andréia Silveira Athaydes, na Universidade de Málaga, Espanha.

O país europeu registrou em 2018, segundo dados pesquisados no site agenciasrelacionespublicas.com (que tem informações em Português e Espanhol), um total de 179 empresas dedicadas à atividade das Relações Públicas que atuam na Espanha. E, segundo o Anuario de la Comunicación 2015, os responsáveis pela comunicação têm mais estudos além do curso, o 75% estudou um mestrado, doutorado ou pós-graduação. As principais áreas nas que os profissionais invertem é no entorno digital, gerenciamento de crise e estratégia, planejamento e gestão da marca.

A análise do 89% das agências de comunicação e relações públicas que pertencem à ADECEC (Associação De Empresas Consultoras Em Relações Públicas e Comunicação), e que representam as principais consultorias em Relações Públicas em Espanha, realizado em 2016, mostra alguns dados que descrevem o setor:

  • A maioria das agências estão localizadas em Madrid (com 15agências) e Barcelona (com nove), respectivamente.
  • A atuação que as empresas oferecem é internacional, em especial com países de Europa (destacando Portugal) e América Latina.
  • Enquanto a formação dos profissionais, não são só RP, também contam com pessoas de design, jornalismo, marketing, pesquisa de mercado, política ou comunicação audiovisual.
  • Enquanto a oferta, a maioria das empresas realizam serviços integrais em comunicação. Só uma minoria é especializada em serviços como criação de conteúdos, redes sociais, reputação e responsabilidade social corporativa ou assuntos públicos e relações institucionais.
  • Os clientes pertencem a diferentes âmbitos como alimentação ou o automobilismo, destacando a quantidade de contas dedicadas à indústria farmacêutica, que pela sua delicadeza, precisa de um tipo de comunicação especial, cuidada ao detalhe o que necessita de um grande conhecimento na área.

Foto: Andrew Neel / Unsplash