Mercado de trabalho » Mercado de Trabalho

Geração Z no Mercado, e agora?

Profissionais da Geração Z chegam às empresas, e com isso as prioridades mudam, mas será que vai ser fácil se adaptar ao ambiente modelado de trabalho?

Mais ecológicos, conscientes e antenados, a geração Z é composta por indivíduos que nasceram a partir da década de 90, no período da ascensão da internet e do evolução da tecnologia. Esses jovens já cresceram com o mundo virtual em suas mãos e vivem sempre conectados trocando instantâneas experiências.

Geração Z. Foto: Bruce Mars.

Essa geração está cada vez mais ligada a aspectos socioambientais, culturais e políticos. Sendo caracterizada pela forte necessidade de exposição de suas opiniões no ambiente online e pelo posicionamento crítico em relação a ações de empresas. Os jovens procuram maior engajamento em marcas que tenham ideias inovadoras e impactantes.

Ao contrário de outras gerações, esses indivíduos estão acostumados com o acesso constante a notícias e informações privilegiadas, visto que vivem num mundo em que tudo é compartilhado em tempo real. Portanto, com a rapidez nos processos e a instantaneidade de informações e respostas, a ansiedade é um aspecto comum nesse contexto.

No mercado de trabalho não é diferente, as empresas estão cada vez mais atentas à chegada dessa geração ao mercado. Esses jovens começaram a se tornar independentes e, com isso, o desejo de ganhar o próprio dinheiro, mas será que mundo corporativo está preparado para receber os Millenials?

Este é um dos grandes desafios das organizações que querem se manter atualizadas e sincronizadas com as rápidas mudanças do século XXI. A maioria das empresas estão lutando para se encaixar nos pensamentos inovadores desses novos jovens, o que inclui um ajuste na cultura organizacional para entender suas preferências e características, assim como sua forma de lidar o mundo. Os jovens desta geração não se contentam com uma mesa, um computador e 8 horas diárias, eles precisam estar em constante desenvolvimento profissional e pessoal, o que eles fazem deve estar de acordo com aquilo que acreditam e os chefes devem dar lugar aos líderes. Porém, nem toda a empresa adotará esses novos conceitos revolucionários, sendo assim, dever dos jovens dessa geração se adaptarem a empresas tradicionais na sociedade e, aos poucos, mostrar seu ponto de vista e modelar o ambiente de uma forma que fique bom para todos.

No entanto, as empresas deveriam ser dinâmicas, flexíveis e inovadoras. Novos moldes de estratégia e gestão serão necessários para manter essas pessoas motivadas, pois devido as suas inquietações e imediatismo, esses novos funcionários terão dificuldade em se manter “presos” em um único lugar.