Entrevistas> Intercâmbio> Variedades » Intercâmbio

Experiências Transformadoras

As oportunidades que a PUCRS oferece para quem quer estudar fora do Brasil

Viver múltiplas experiências, buscar culturas diversas, instigar o novo. Seja nas montanhas, em uma praia, no frio ou no calor, em um país vizinho ou do outro lado do mundo, realizar um intercâmbio será sempre um desafio daqueles que todos deveriam encarar. Além de propiciar a vivência com diferentes culturas e hábitos, tem o poder de fazer com que as pessoas amadureçam, já que na maioria das vezes encaram essa aventura sozinhas.

Lucas Pimenta, formado em Relações Públicas, sugere que ao ingressar na faculdade devemos procurar explorar tudo ao máximo. Pimenta viajou para a Argentina e estudou durante dois semestres na Universidad Católica Argentina (UCA). Entender qual o melhor período para realizar o intercâmbio é uma dúvida que assombra muitos estudantes. O início da jornada parece não ser o ideal pela falta de experiência, e o fim causa medo, achando que a viagem poderia atrasar a faculdade e acarretar a perda de oportunidades. As dificuldades e os aprendizados podem ser diferentes, seja qual for sua idade ou seu semestre no curso. Enfrentar o desafio e “explorar tudo ao máximo” é o mais importante.

Levar em consideração o nível de excelência do curso, custo de vida do local e idioma é crucial. Gabriela Luz Rocha e Maria Cecilia Dartora, colegas no curso de Relações Públicas, decidiram viajar juntas para Portugal. Segundo elas, a proximidade entre os idiomas é um facilitador, embora a Universidade Católica de Lisboa, para onde viajaram, também exigisse o inglês. Fernanda Luz Moraes, que viajou para o México, resolveu encarar o desafio mesmo sem ter o domínio da língua. A dedicação e o esforço contam muito nessas horas, e sua principal dificuldade se tornou sua maior conquista.

Conhecer um novo país é sempre um aprendizado. Deve-se estar aberto ao diferente e preparado para o adverso. Aprender a lidar com outras culturas e hábitos não é nada fácil, é um verdadeiro exercício de paciência que, se bem aproveitado, pode repercutir na vida pessoal e profissional.

Participar da mobilidade acadêmica pode ser a realização de um sonho. Enxerga-se o mundo de outro modo e se olha com mais carinho para aquilo que está à disposição. “Foi uma experiência que ensina a dar valor. Eu voltei gostando ainda mais da PUCRS e da Famecos”, assegura Gabriela.

Entender como foi a experiência de outra pessoa pode ser o pontapé que faltava para a decisão ser tomada. A saudade, divergências e o medo dos problemas não devem ser maiores que o desejo de crescer e aprender.