E-commerce: a nova experiência de compra

Como funciona um dos únicos segmentos que não foi afetado pela crise
Mesmo com a crise as vendas por e-commerce continuam. Foto: Natália Denuer

Mesmo com a crise as vendas por e-commerce continuam.     Foto: Natália Deuner.

O e-commerce ou comércio eletrônico, é uma modalidade de comércio que realiza suas transações financeiras por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores e celulares. No Brasil, o comércio eletrônico ascende de maneira desenfreada. Ao contrário do que era pensado, o comércio eletrônico não só não foi afetado pela crise, como cresceu aproximadamente 24%, de acordo com pesquisa realizada pelo PayPal.

A praticidade é uma das grandes vantagens destas compras realizadas pela internet. Diferentemente das lojas físicas, a tela do computador é uma vitrine ilimitada, onde o consumidor procura pelo produto desejado sem precisar sair de casa. É possível explorar uma gama de diferentes produtos em um mesmo site, filtrá-los e procurá-los de acordo com a sua necessidade e relevância, facilitando sua busca por algo específico. As compras pela internet revolucionaram a forma de consumir produtos de baixa escala de produtividade. Ou seja, produtos que em lojas físicas sequer seriam expostos, nas lojas virtuais têm o mesmo espaço de qualquer outro.

Uma das novas tendências do e-commerce é o m-commerce, que consiste em compras pela internet através de dispositivos móveis, como smartphones, por meio de aplicativos e navegadores. Os números atingidos através deste tipo de negócio são significativos, as transações feitas por dispositivos móveis aumentaram consideravelmente.

Assim como benefícios financeiros trazidos pela digitalização das compras, a insatisfação dos clientes preocupa os comerciantes. Mais do que nunca, serviços prestados de forma defeituosa estão expostos aos olhos de quem quiser ver. A preocupação com a reputação da marca se mantém completamente sensível na internet, são inúmeros os canais existentes para que os clientes se queixem de defeitos nos produtos, de qualidade ruim ou reclamações no geral.

Como em vários campos da nossa vida cotidiana, a tecnologia revolucionou a forma de comprar e trouxe junto com isso um desafio: as empresas precisam encontrar uma forma particular de relacionamento com este segmento de público específico. É imprescindível diferenciar os consumidores das lojas físicas e lojas on-line. É necessário criar uma forma de diálogo específico para este segmento de público que estabeleça um vínculo entre os consumidores de lojas virtuais e as empresas.