Skip to main content

O Brasil é marcante por sua diversidade cultural, de hábitos, costumes e tradições, distribuídos em mais de 8.500.000 km². Nessa perspectiva, identificamos uma diferença de tradições muito grande, oriundas de nossa formação. Segundo a jornalista e relações-públicas, Neka Machado, isso reflete diretamente na diferença de consumos culturais, conforme cada região. Cada estado brasileiro possui seus eventos importantes, como Festival de Teatro de Belo Horizonte, Planeta Atlântida/RS-SC, Festival de Verão de Salvador. Ainda possuímos eventos marcantes que tem alcance no país inteiro, como Rock In Rio, e futuros eventos, como a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Cada evento que ocorre no Brasil, seja religioso, esportivo ou cultural, é imprescindível na formação da identidade do povo e do país. “Em um sentido amplo, acreditamos que os eventos brasileiros podem despertar um incentivo cultural para o povo. Estes eventos “operam” na sensibilização de seus sujeitos consumidores. Paixão, conhecimento, prazer, trabalho, fé, respeito às tradições, entre outros aspectos, são elementos que constituem este processo. E que acabam por refletir na cultura de cada sujeito”, enfatiza a professora.

Para Neka Machado, duas esferas identificam a importância dos eventos brasileiros. A primeira de quem produz, em seu sentido mais amplo: os envolvidos diretos e indiretos nos processos, os que geram trabalho e renda e em escalas diversas e segmentadas (turismo, divisas, hotelaria, restaurantes, comércio, indústria, economia…). “A segunda esfera é a dos que ‘consomem’ — independentemente do campo, religioso, esportivo, artístico, gastronômico… E a sensação prazerosa que geram”, destaca Neka.

Cada evento que ocorre no Brasil, seja de pequeno ou grande alcance, tem um reflexo direto no dia a dia dos cidadãos, e nessa perspectiva, devemos dar a importância que esses eventos merecem, já que são parcialmente responsáveis pela caracterização do país e de seu povo. “Se fizéssemos uma busca online ficaríamos surpresos com tantos acontecimentos e mercado para nós relações-públicas. No mais, é repertório, conhecimento, competência e uma “saudável” rede de relacionamentos. E mãos à obra. há muito trabalho”, conclama a professora.